Dermatologia Cirúrgica

Padrão Ouro para tratamento do Câncer de Pele

O nome cirurgia micrográfica significa cirurgia realizada com controle microscópico, sendo a melhor técnica utilizada para tratar os principais tumores da pele. Os tumores de pele apresentam um crescimento microscópico, que se estende por uma área maior do que a do tumor e que não é visível ao olho humano.

Os tumores podem ser infiltrativos no tecido, criando raízes que podem estar além do que é visto na superfície da pele. A cirurgia de Mohs permite avaliar as margens laterais e profundas durante o ato cirúrgico, orientando o cirurgião dermatológico onde está as raízes do tumor. Uma taxa de cura para o câncer de pele de próximo a 100% é obtida com essa técnica.

Com esse método preciso, evita-se que resquícios do tumor original voltem a se desenvolver no mesmo ponto e ao mesmo tempo preserva ao máximo o tecido sadio ao redor do tumor. Minimizando a cicatriz no local, preservando a estética e a função da área acometida pelo tumor. Este crescimento do tumor pode extender-se além da margem cirúrgica empregada, por isto, a importância do controle com microscópio, para que se consiga a remoção de todas as células do tumor.

As etapas da cirurgia de Mohs consistem na remoção do tumor com mínima margem. São retiradas finas camadas de tecido doente e o material é preparado para análise com microscópio no mesmo momento da cirurgia. Caso o exame evidencie a presença de tumor nas margens, novas etapas são realizadas até não serem mais visualizados tecidos com células alteradas ao microscópio. Ao final, segue reconstrução da área operada.

Na cirurgia de Mohs, o resultado do exame da biópsia é obtido durante a cirurgia, possibilitando a ampliação e o rastreamento do tumor, com a ferida, ainda aberta. O fechamento (reconstrução) do tumor será realizado, somente, após a conclusão, através da visualização no microscópio, de que todo o tumor foi removido.

Vantagens: É o método de remoção de câncer de pele mais eficaz que existe, com as maiores taxas de cura, mínima cicatriz e melhor estética.

Exposição ao sol é o principal responsável pelo câncer de pele

O tumor é retirado com uma margem pré-estabelecida (denominada de margem de segurança), que é maior que a margem da cirurgia de Mohs, realizando o fechamento da pele, em seguida. O resultado do exame, para saber se tumor foi todo removido, é obtido, somente, de 3 a 10 dias após a cirurgia. Estudos mostram que em alguns casos, até 40% de pele sadia é retirada sem necessidade.

A técnica convencional é apenas recomendada para retirada de câncer de pele em locais onde uma maior retirada de pele sadia não cause danos estéticos. Isto, porque menos da metade da pele retirada com o tumor é analisada no exame de biópsia, sendo necessário uma margem de segurança adequada para a cura da doença.

VANTAGENS: (Deixar todos em negritos Vantagens): Procedimento em menor tempo, recomendado para pacientes idosos e áreas onde a estética não fique comprometida.

Tratamento de escolha em pacientes com baixa resposta a terapia clínica tradicional e na doença estável

O vitiligo é uma doença caracterizada pela perda da coloração da pele. As lesões formam-se devido à diminuição (ou ausência) de melanócitos, células responsáveis pela formação da melanina (pigmento da pele). O tratamento mais adequado deve ser discutido com um dermatologista, conforme as características de cada paciente.

As terapias cirúrgicas podem ser indicadas quando:

- o vitiligo torna-se estável por no mínimo 6 meses, não tendo melhora aos tratamentos clínicos.

Requisitos para os pacientes poderem submeter-se ao tratamento cirúrgico:

  • as manchas de vitiligo não podem estar aumentando de tamanho;
  • novas manchas não devem estar surgindo;
  • novas manchas brancas não surgem nos locais de pequenos traumas ou arranhões (ausência de fenômeno de Koebner);
  • Os melhores resultados são alcançados nos pacientes portadores de vitiligo segmentar. Lesões brancas de vitiligo apenas de um lado do corpo. Outros tipos de vitiligo como o não-segmentar também tem bons resultados quando os pacientes se encontram estáveis do vitiligo.

    Na clínica Uniderm, o Dr Eugenio Reis teve treinamento em cirurgia de vitiligo pelo reconhecido professor doutor Davinder Parsad na técnica de transplante autólogo de melanócitos não cultivados.

    É considerada a técnica cirúrgica mais avançada para o tratamento do Vitiligo. Tendo os melhores resultados cosméticos na área de vitiligo receptora e na área doadora. Isso porque, uma pequena área doadora consegue pigmentar uma área de vitiligo de até 10 vezes maior. O procedimento consiste na retirada de uma fina lâmina de pele do próprio paciente (autólogo) que não deixa cicatriz e raramente pode deixar uma diferença de cor no tecido doador. Os melanócitos serão extraídos dessa lâmina de pele e serão implantados na área do vitiligo. Como as células melanócitos transplantadas são do próprio paciente, não existe risco de rejeição.

    Vantagens: Excelente resultado cosmético, pigmentação natural iniciando após 2 a 4 meses do procedimento cirúrgico.

    Método de tratamento muito efetivo para um grande número de doenças de pele

    A crioterapia, também chamada de criocirurgia, é um tratamento que se utiliza do nitrogênio líquido para o tratamento de diversas doenças de pele.

    Bons resultados na remoção de verrugas, espessamento da pele pela exposição solar (queratose acínica ou ceratose actínica), alopecia areata (calvície auto-imune) e em tumores de pele que exista uma contra-indicação a cirurgia tradicional.

    O procedimento utiliza o congelamento para atingir a destruição das lesões cutâneas; a aplicação pode ser feita utilizando um spray que borrifa um jato de nitrogênio líquido diretamente na lesão ou por meio de uma ponteira previamente congeladas com o nitrogênio líquido e essas ficam em contato direto com o local a ser tratado.

    Vantagens: É uma forma rápida, segura e indolor de tratamento para doenças de pele. Pode ser usada por gestantes, crianças, pacientes com contra-indicação à cirurgia e pacientes com marcapasso.

    Utilizada no campo dermatológico desde 1851, a criocirurgia, também conhecida como “terapia pelo frio”, abrange um conjunto de técnicas utilizadas para a diminuição de inchaços, edemas, alívio de dores e inflamações. É uma opção terapêutica adequada para tratar tumores cutâneos benignos, pré-malignos ou malignos, lesões cutâneas, manchas na pele, remoção de verrugas, molusco contagioso, queratose seborreica, hemangioma, queratose actínica, Doença de Bowen (placa avermelhada escamosa ou crostosa, não elevada e progressiva) e carcinoma basocelular.

    Trata-se de uma boa alternativa para quem não pode fazer um tratamento com o uso do bisturi elétrico ou pessoas com pânico de cirurgias.

    Recuperação da saúde dos cabelos: fios fortes, longos, firmes e sedosos

    A queda de cabelo pode ocorrer em homens e mulheres no decorrer dos anos.

    Diversas situações podem acometer a saúde do couro cabeludo e dos cabelos. A perda dos fios está relacionada com: uso de medicamentos, tratamentos químicos (formol, alisamentos, tinturas), fatores hormonais, problemas emocionais (como estresse), doenças internas (tireóide, anemia) e a genética (herança familiar).

    A queda de cabelo é conhecida como Alopecia. Existem diversos tipos de Alopecias.

    A Alopecia mais comum é chamada de Alopecia Androgenética, conhecida popularmente como calvície. Ela causa afinamento, encurtamento e diminuição do volume dos fios. Geralmente é de origem genética, tendo um dos familiares do paciente também acometidos (pai, mãe, irmãos, avós, tios).

    Outras causas também comuns de queda de cabelos, seriam a dermatite seborreica ou caspa, os eflúvios telógenos e a Alopecia areata.

    Existem também outras formas de alopecias menos comuns, que são chamadas de Alopecias cicatriciais como Líquen Plano Pilar, Lupus eritematoso, Alopecia Frontal Fibrosante, e as Foliculites abscedante e decalvante.

    Experiência e expertise no diagnóstico preciso garante um tratamento correto e adequado.

    Tratamentos clínicos tradicionais ou tratamentos mais recentes como o Laser Capilar, LED capilar, uso de Fatores de crescimento, Mesoterapia capilar, crioterapia, microagulhamento e a microinfusão de medicamentos na pele – MMP® são realizados na clínica Uniderm.

    A MMP® é um método recente e moderno de introdução de medicamentos no couro cabeludo, através de microagulhas. Rápido e com ótima aceitação pelos pacientes; é muito bem indicado para o tratamento da queda de cabelo. Os resultados começam a ser vistos em média após 20 dias da aplicação, sendo recomendado realizar de 4 a 6 sessões, e na manutenção realizar a cada 6 meses um nova aplicação.

    Vantagens: Fim da queda dos fios de cabelo, com procedimentos minimamente invasivos, eficazes e não dolorosos. Melhora expressiva na qualidade, textura e brilho do cabelo.